Sobre mim


Sou Vanderson Moura da Silva, discípulo de Jesus Cristo que assiste em uma igreja batista reformada e abraça as doutrinas da graça chamadas de calvinismo. Nascido em São Paulo-SP em janeiro de 1974 e criado em lar evangélico, minha conversão se deu pela ação soberana do Espírito de Deus, que, em Sua misericórdia e amor, salvou-me e fez de mim uma nova criatura. Ele tornou dócil o meu coração, abrindo-o para a recepção e aceitação submissas das gloriosas verdades do Evangelho do Senhor Jesus Cristo.

Não tenho qualquer educação teológica formal, mas, na iluminação do Espírito Santo, estudo por mim mesmo as Escrituras Sagradas. Vejo-me apenas como um “eterno” estudante da Bíblia, e também procuro ler muitos textos e livros doutrinariamente sadios (e outros nem tão doutrinariamente sadios, confesso, mas que me oferecem, no exercício do senso crítico, informações e insights valiosos para o meu aprendizado). A grande maioria deles, claro, é na linha teológica reformada conservadora. Subscrevo a Confissão de Fé Batista de Londres de 1689, cujo texto pode ser acessado aqui.

O título “Polemista Reformado” tem a ver com o propósito que tenho de, em meus textos, argumentar e contra-argumentar em prol do que penso ser o ensino da Bíblia sobre determinado tema, dentro do compromisso que assumi com a fé cristã histórica e ortodoxa e sob uma ótica batista reformada. E, claro, dar a minha modesta contribuição para a difusão das doutrinas da graça através desta fantástica ferramenta que é a web.

ATUALIZAÇÃO: 01/02/2014 às 17h12.


10 respostas para “Sobre mim

  • Anna Barros

    Mto bom, só faltou uma foto do autor, hahaha! 🙂

  • Ezequias Amancio Marins

    Sou pastor batista em Angra dos Reis… e também de forte inclinação calvinista… bom conhecer o seu blog… apenas estranhei a sua posição de que a CBB é uma reunião de indivíduos e não uma associação de igrejas… penso queridão que o amado incorreu em erro… pois a CBB é sim, uma associação de igrejas, embora respeitando a autonomia da igreja local. Penso que defender que a CBB não é formada por igrejas, fere o principio da cooperação entre os Batistas. Mas, no mais, suas idéias conferem com a boa reflexão reformada, aconselho-o a visitar o meu blog… e vamos trocando figurinhas por ai.. na NET e quem sabe, um dia, pessoalmente.

    • Vanderson M. da Silva

      Muito me honra e me alegra tê-lo aqui no blog, Pr. Ezequias! Já conhecia o irmão do Facebook e do Orkut, e agora o tenho aqui prestigiando este meu espaço. Bem, sobre a Convenção Batista Brasileira, ela mesma não se define como associação de igrejas, mas sim como convenção: confira aqui. E o que é convenção? O Dicionário Aulete explica: “convenção (con.ven.ção) sf.1. Encontro, assembleia de pessoas, ger. representantes de instituições, empresas etc., que se reúnem para discutir assuntos de interesse comum; CONGRESSO; CONFERÊNCIA”.

      Por outro lado, é possível sim manter laços de cooperação entre igrejas da mesma fé e ordem sem que para tal elas precisem se associar formalmente: as igrejas da era apostólica são um grande exemplo disso, pois mantinham entre si um vínculo de natureza espiritual (e é esse ideal que a Convenção deve buscar) sem constituírem uma associação daquele tipo. E isso já era suficiente para a efetiva cooperação entre elas: Atos 11.27-30; 1 Coríntios 16.1-4.

      Um abraço e volte sempre, meu irmão!

  • Walker Robson

    Amado irmão, eu também sou um batista calvinista, e assim como você também não possuo uma formação acadêmica em teologia, entretanto o Senhor tem me abençoado e ensinado grandemente com a leitura de autores reformados. A pouco mais de dois meses eu pedi a exclusão do rol de membros de minha igreja.

    Eu contestei a Declaração de fé de nossa convenção, e por causa disso fui colocado em observação e excluído dos trabalhos em nossa igreja. Eu descobri pesquisando em sites reformados que a atual Declaração de fé ocupa uma posição ilegal, ou melhor dizendo, ela usurpou nossa antiga declaração de fé que era calvinista, a declaração de Fé de New hampshire.

    Eu me entristeço muito com a apostasia latente em nossa igreja. Muitos líderes batistas ou são liberais ou amigos dos papistas. Eu temo que a convenção continue centralizando o poder, creio que em breve ela terá uma atuação similar a que é exercida pelo Vaticano.

    • Vanderson M. da Silva

      Fico muito grato por sua participação aqui, Ir. Robson. Sim, de fato, em nosso País não é nada fácil ser um batista na linha reformada. A nossa denominação se jacta de seu pluralismo, tendo em suas fileiras gente de tudo quanto é tendência (pentecostalistas, liberais, neo-ortodoxos etc.) Mas, curiosamente, não age com a mesma tolerância e respeito para com quem defenda as mesmas posições defendidas por batistas de nomeada como William Carey, Adoniram Judson, John Bunyan, Charles Spurgeon, Alexander MacLaren e tantos outros. Batistas reformados têm enfrentado boicotes e perseguições em várias partes do País — confesso que isso (ainda?) não acontece comigo. Sinceramente, oro ao Senhor e, na dependência dEle, trabalho para que haja uma legítima Reforma em nossos arraiais.

      Que Deus o abençoe e o ilumine grandemente, meu irmão! Abs!

      P.S.: A propósito, acabei de postar um vídeo muito pertinente ao que estamos tratando aqui.

  • Ricardo

    Caro Vanderson,quero convidar o irmão a conhecer a “Missão São Paulo”.
    Trata-se do trabalho de dois missionários recém chegados de Londres,enviados pelo Tabernáculo Metropolitano,a fim de darem início a algo que venha a se tornar futuramente uma Igreja Batista Reformada em São Paulo.

    A missão já tem site,e um pequeno número de irmãos.

    End: Rua Lino Coutinho,1.915 (próxima ao terminal Sacomã).

    http://www.missaosaopaulo.org/content.php?pageid=7

    • Vanderson M. da Silva

      Fico muito feliz por essa notícia, irmão Ricardo. É maravilhosa uma notícia dessas, e oro a Deus para que esse trabalho se desenvolva e se consolide, difundindo a fé reformada na Capital, para glória do nome dEle. Em breve farei uma visita à Missão, se o Senhor assim me permitir. Abs!

  • Marcos Ferreira

    Sou pastor presbiteriano (IPB), 62 anos. Minhas convicções calvinistas ficam mais sólidas cada vez que tomo conhecimento de que irmãos de outras denominações abraçam a soteriologia calvinista.
    A propósito da palestra do Pr. Franklin Ferreira na Conferência Fiel 2012, versando sobre o Credo Apostólico, quero divulgar a minha versão musicada em estilo coral dessa antquíssima confissão de fé:
    1) Solo, com vocais masculinos: http://goo.gl/qAWQi
    2) Três vozes, sem instrumentos: http://goo.gl/aE8PC

    • Vanderson M. da Silva

      Sinto-me muito honrado em receber sua visita e comentário aqui, pastor. Também me alegro quando fico sabendo que crentes outrora arminianos abraçaram as doutrinas da graça soberana. Data vênia, faço um pequeno reparo ao que o irmão escreveu: em sua origem os batistas eram calvinistas (vide nomes como John Bunyan, John Gill e William Carey, por exemplo). Mesmo hoje, parcelas expressivas da denominação ao redor do mundo adotam tal teologia. No Brasil mesmo, em seu início, a Convenção Batista Brasileira subscrevia a Confissão de Fé de New Hampshire, um documento “moderadamente” calvinista.

      Grato por compartilhar esse material conosco, pastor. A propósito, você está no Facebook? Se estiver, me adiciona lá, blz? 😉 Abs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: